“Se eu fosse…”

Quarta, 09 junho 2021

 

Foi com profundo orgulho e amizade que a turma 8.º A participou no projeto da “Ajudaris” com o texto "Se eu fosse" elaborado colaborativamente, no âmbito da disciplina de Oferta Complementar.

Refletimos primeiro sobre a importância da escrita como meio de veicular sentimentos, pensamentos, realçando o seu potencial crítico, reflexivo e de ação. Com o nosso texto, simples, mas repleto dos sentimentos mais puros, foi nosso intuito mostrar a beleza da vida e a grandiosidade dos gestos de generosidade.

Agradecemos a ação meritória da “Ajudaris”, à qual com amizade nos juntamos, tendo recebido da parte dos mesmos um agradecimento especial.

Professora Cristina Leitão

 

SE EU FOSSE...

Se eu fosse um gigante, bem pomposo e charmoso, não de gruta, mas de luta, vestiria o meu traje mais faustoso, afinaria a minha voz de tenor e exclamaria bem alto para este mundo atordoado pelo desamor: “ACORDEMMMMMM!!! SEJAMMMM HUMANOS!!!”

Se eu fosse um leão, imponente, forte e temível, soltaria o meu rugido mais sonoro e defenderia a vida acima de tudo. Escaparia dos malditos predadores e não deixaria espaço aos malfeitores.

Se eu fosse um elefante, seria grande e macio. Teria nos dentes um brilhante e uma tromba elástica para me servir de chuveiro. No tempo do calor, enchê-la-ia no ribeiro com água pura e fresquinha para refrescar a barriguinha. Dentes, orelhas e pernas…, tudo em tamanho gigantão. Sabem o que seria maior? O meu coração!

Se eu fosse uma cadela, teria o pelo macio e brilhante, ergueria o meu olhar firme e cativante, para proteger as crianças com o meu ladrar ensurdecedor e amordaçaria os cânticos de temor.

Se eu fosse um golfinho, emergiria das profundezas dos oceanos, vestiria uma fatiota de político e, num tom bem alto, lançaria o som mais melodioso e sibilante para despertar os adormecidos: “Adotem comportamentos de amizade e de respeito!”

Se eu fosse uma borboleta majestosa, a dançar de flor em flor, com as minhas asas coloridas, abraçaria todos num só gesto de candor, oferecendo paz e amor.

Se eu fosse um esquilo, com a minha natural agilidade e velocidade, subiria à maior árvore e gritaria para que todas as pessoas pudessem ouvir: “Sejam cuidadosos! Respeitem e protejam o vosso LAR”.

Se eu fosse um pássaro, voaria até as minhas asas se cansarem, pousaria nas nuvens macias, faria sobre elas ninhos que pareceriam algodão-doce, cantaria com as estrelas uma canção para as criancinhas adormecerem e, após isso, deitar-me-ia me na lua. Enfim! Se eu fosse um pássaro, viveria aventuras inexplicáveis, iria até ao limite possível, que ainda fica bem longe.

Se eu fosse uma grande árvore, acolheria debaixo dos meus ramos todas as pessoas que precisassem de ajuda, levantá-las-ia no ar para lhes dar aconchego e fazê-las sonhar, porque, afinal, não dizem que o sonho comanda a vida?

Mas, sou um simples ser humano a sonhar com um mundo colorido e prazeroso, no qual dominariam as cores do arco-íris, sem tonalidades sombrias, nem ténues…, cores bem fortes e vivas que apelassem ao amor, ao respeito, à liberdade, à partilha e à VIDA…

Como ser humano, posso e devo agir em prol deste nosso planeta com atitudes de respeito, solidariedade, generosidade e empatia. Se cada um de nós o fizer com gentileza e bondade, ah que bem que ficaríamos! Ah que belo que seria o nosso mundo! Vamos tentar dar o nosso jeito a esse mundo cheio de maleitas?

A turma do 8.º A do Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca

 


 

(C) 2012-2021, Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca