Plano estratégico de melhoria

 

Perante a temática, sempre recorrente, do insucesso escolar, no serviço público de educação, devemos ser ambiciosos. Devemos alterar a imagem de que é uma fatalidade inscrita no destino de muitos jovens!

Perante o insucesso escolar, não podemos resignar-nos ao desperdício de energias, dos professores e escola, e de vidas, dos alunos! Impõe-se atuar. Atuar em conjunto. Mobilizando para o nosso trabalho os poderes públicos e a sociedade em geral, tanto dentro como fora da escola. E esse trabalho conjunto deverá ser a ambição e o compromisso de todos!

A ação da escola, todos o sabemos, significa compreender que o trabalho escolar deve estar centrado nas aprendizagens, criando as condições para que, desde tenra idade, as crianças dominem os instrumentos que lhes permitem ler a palavra e ler o mundo.

Perante o insucesso escolar, sabemos alguns, é fundamental valorizar o papel e a ação dos professores. Porque nada substitui um bom professor! Mas é necessário que haja motivação e confiança e que se crie nas escolas um clima de cooperação e de colaboração. Mas também é necessário dar condições às escolas para que, no quadro da sua autonomia, mobilizem todos os esforços, no seu interior, mas também na sociedade (famílias, autarquias, associações, etc.), para que Ponte da Barca se valorize pela educação e pelo conhecimento.

O plano estratégico de melhoria do AEPB requer algo muito simples: da sala de aula, à escola no seu todo, da família e comunidade à autarquia, dos responsáveis políticos aos diversos parceiros sociais, assumamos a necessidade de trabalhar juntos o desígnio de melhorar a qualidade das aprendizagens dos nossos alunos para alcançarmos mais sucesso escolar.

Não é agora que começamos. Este é um trabalho que a escola tem desenvolvido ao longo dos anos. Contudo, a ação isolada da escola e dos docentes, por mais competente, responsável e empenhada que seja, não conseguirá, por si só, resolver um problema que, embora vivido no espaço escolar, tem também causas que extravasam os limites e a capacidade de intervenção das nossas escolas. Referimo-nos, por exemplo, à desvalorização da cultura escolar, do conhecimento e da qualificação como fatores importantes de integração e de mobilidade social, e a uma aceitação passiva do insucesso, vendo-o como uma fatalidade que passa de pais para filhos e contra a qual não há nada a fazer.

Em sintonia com a estratégia nacional do PNPSE e porque todos sabemos, por experiência e saber acumulados, que para prepararmos um futuro de sucesso consistente, a intervenção tem de incidir na base do sistema educativo, procurando criar condições que permitam melhor ensino, melhor apoio e melhor aprendizagem.

Para se melhorar, significativamente, a qualidade das aprendizagens – como ambicionamos – vamos continuar a focar-nos:

  1. na qualidade das aprendizagens dos alunos;
  2. na promoção do desenvolvimento profissional dos docentes;
  3. na mobilização da comunidade educativa e parceiros sociais.

Assim, no âmbito do Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar, o AE de Ponte da Barca contempla quatro medidas:

LER MELHOR PARA SABER MAIS

  • Aplicação de métodos alternativos de ensino e aprendizagem da leitura aos alunos dos 1.º e 2.º ciclos;
  • Apoio precoce aos alunos que revelam dificuldades de leitura e de escrita, em pequenos grupos, com metodologias diferenciadas.
  • Implementação de atividades diversificadas com vista à melhoria das aprendizagens.

 

VOU GOSTAR DE MATEMÁTICA

  • Valorizar a disciplina de Matemática através da realização de atividades lúdico/experimentais;
  • Implementação de atividades diversificadas com vista à melhoria das aprendizagens.

 

EU CONSIGO!

  • Implementação de um programa de tutorias autorregulatórias e de motivação para a aprendizagem.

 

PARTILHO, MELHORO!

  • Consolidação do processo de articulação e supervisão pedagógica semanal;
  • Aprofundar o plano de observação de aulas entre pares.

 

Mas este plano não se esgota nestas medidas. Outras há, já no terreno, que têm continuidade.

E no âmbito do Programa de Combate ao Insucesso e Abandono Escolar, o AE de Ponte da Barca assume que existe ainda um caminho a percorrer, sobretudo se atendermos aos níveis de escolaridade dos encarregados de educação, muito abaixo dos níveis nacionais, que revelam a fragilidade do acompanhamento da família nos processos de aprendizagem. A promoção do sucesso escolar, elemento central do projeto, assume especial relevo pela análise dos dados do diagnóstico efetuado, uma vez que, apesar da evolução positiva dos últimos anos dos níveis de abandono escolar e das taxas de retenção e/ou desistência, verifica-se, segundo os dados da DEGEEC, uma taxa de 33,8% de retenção ou desistência no final do ensino secundário (muito acima da média do Alto Minho que se situa nos 24,8%), o que revela uma fragilidade do território ao nível do reduzido n.º de alunos que prosseguem os estudos para o nível de ensino superior.

Outra fragilidade identificada situa-se ao nível da transição entre ciclos de ensino onde se verifica um agravamento dos níveis de retenção e/ou desistência.

Mas há ainda outros indicadores que apelam à nossa intervenção: o histórico de sucesso e insucesso a algumas disciplinas, a qualidade do sucesso alcançado, o número de negativas nas provas finais de nono ano. Estes indicadores revelam a necessidade de intervenção ao nível dos processos de aprendizagem e de motivação escolar através do recurso a estratégias inovadoras e ações concertadas, dentro e fora da escola, e que favorecem a participação ativa e o desenvolvimento e a capacitação da comunidade educativa como um todo e, em particular, dos alunos, dos professores e das famílias, tendo por base a valorização dos processos educativos e do território onde a escola se insere.

O programa contempla as seguintes medidas:

CRIO O MEU SUCESSO: ambientes educativos do futuro;

LER MAIS PARA SABER MAIS: oficina dramática/teatro, espetáculos teatrais, programa de rádio, concursos de leitura, leituras encenadas;

APRENDER COM A MÚSICA: oficina de música, orquestra de percussão;

GAME, “ESCOLA POSITIVA”: mobilização de pares para o sucesso;

APRENDER FORA DA SALA DE AULA: aulas de campo, workshops, oficina de ciências, oficina de matemática;

FELIZMENTE: estratégia concertada assente na prática do Mindfullness que visa promover a consciência sócio emocional, aumentar o bem-estar psicológico, a felicidade, e promover o sucesso escolar.

 

 

(C) 2012-2020, Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca